Hospital da Santa Casa da Misericórdia do Sardoal

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/ADSTR/CON/HSCMSRD
Title type
Controlado
Date range
1883 Date is certain to 1883 Date is certain
Dimension and support
2 liv.; papel
Biography or history
Concelho: Sardoal

Freguesia/Localidade: Santiago e S. Mateus/ Sardoal



Frei Agostinho de Santa Maria refere que em 1336, no reinado de Afonso IV, existia uma albergaria instituída por Lourenço Annes Da Vide e pela sua mulher, Clara Pires, com o intuito de recolher os pobres, enfermos e peregrinos, fornecendo-lhes abrigo, roupa lavada, alguma alimentação e tratando dos seus problemas de saúde. A dita albergaria encerra e a dada altura, várias pessoas devotas do Sardoal, decidem congregaram-se e comprar uma pequena casa onde funcionou, durante muitos anos, o hospital da vila, concorrendo para suprir as suas despesas. No reinado de D. João II, e com sua confirmação, constituiu-se a dita congregação em Confraria, com seu compromisso, com a denonominação de Nossa Senhora ou de Santa Maria.

A Misericórdia do Sardoal teve o seu compromisso confirmado por Bula do Papa Inocêncio VI, em 1554 incorporando mais tarde a dita confraria e seu hospital, como foi uso noutros locais.

Com a extinção das Ordens Religiosas, o Hospital da Misericórdia foi transferido para o Convento de Santa Maria da Caridade, com as devidas obras de adptação, e sua cerca, adquirida por D. Francisco Manuel de Mendonça, então provedor da Santa Casa da Misericórdia do Sardoal, que a doou à Santa Casa.

O encerramento do hospital viria a acontecer após a revolução de 25 de abril de 1974.
Scope and content
Concelho de Sardoal. Freguesia de Santiago e São Mateus. Hospital da Santa Casa da Misericórdia de Sardoal. Documentação constituída por registos de óbitos dos doentes do Hospital da Santa Casa da Misericórdia de Sardoal.
Accruals
Incorporações obrigatórias, periódicas. O destino e o prazo foram fixados desde logo pelo Decreto n.º 1640, de 9 de junho de 1915, que determinou que de cinco em cinco anos fossem incorporados nos arquivos [distritais ou equiparados], então subordinados à Inspecção das Bibliotecas, os livros com mais de 100 anos, contados a partir da data do último assento, regra confirmada pelos Códigos de Registo Civil subsequentes.
Arrangement
Organização temática. Ordenação cronológica das unidades de instalação.
Language of the material
Português
Other finding aid
SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA, ARQUIVOS NACIONAIS/TORRE DO TOMBO - Inventário Colectivo dos Registos Paroquiais: Centro e Sul. Lisboa: SEC; IAN/TT, 1998. vol.1. ISBN 972-8107-08-0 e Inventário dos Registos Paroquiais, ADSTR
Notes
Descrição elaborada por Marina Serrão em 2013, revista e acrescentada por Leonor Lopes em 2014.

Bibliografia e fontes para a história administrativa:

SANTA MARIA, Frei Agostinho – Santuário Mariano, e História das Imagens

milagrosas de Nossa Senhora, e das milagrosamente apparecidas, que se venerão em

os Bispados da Guarda, Lamego. Leyria, & Portalegre, suffaganeos do Arcebispado de

Lisboa, Priorado do Crato, & Prelasia de Thomar. Lisboa: na Officina de António

Pedrozo Galram, 1771.Tomo III

História da Instituição In: http://santacasasardoal.blogspot.pt/p/historia-da-instituicao.html [acedido em 26 de setembro de 2014]

Património Histórico In: http://santacasasardoal.blogspot.pt/p/patrimonio.html [acedido em 26 de setembro de 2014]

Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Memórias Paroquiais, Sardoal, vol.34, mem.81, pp.665-671