Aurélio da Paz dos Reis

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/CPF/APR
Title type
Formal
Date range
1870 Date is uncertain to 1949 Date is uncertain
Prominent dates
[1882]-[1949]
Dimension and support
Dimensão: 560 lv., 11.937 doc. fotográficos, 4,5x10,5cm, 6x13cm, 7,9x18,2cm, 8x9cm, 8x18cm, 9x12cm, 9x18cm, 10x 5cm, 13x18cm, 9x6cm, 18x24cm, 8,9x17,8cm, 9x9cm, 9x8,7cm, 18x13cm. Suporte: vidro, papel, película.
Biography or history
Aurélio Paz dos Reis nasceu no Porto em 28 de Julho de 1862.

Aurélio recebeu influências do avô, que foi miguelista e por isso deu ao filho o nome de Miguel da Paz dos Reis. Porém a inclinação política de Aurélio era o liberalismo, confirmando-se com a sua participação na Revolta do Porto, de 31 de Janeiro de 1891, que pretendia derrubar a Monarquia. Através dos seus ideais conseguiu uma progressão rápida nos graus da Maçonaria do Vale do Porto, e aderiu ao Partido Republicano. Esta sua opção política originou dois encarceramentos na Cadeia da Relação.

Aurélio Paz dos Reis era floricultor e na quinta da sua residência na Rua Barão de Nova Cintra, no n.º 125 criava as suas flores. A casa e a quinta eram arrendadas a A. Dias Pereira da fábrica de tratamento de gesso, de Paraimo, em Sangalhos.

Aurélio explorava a "Flora Portuense" na Praça de D. Pedro, onde se situa hoje a Confeitaria Ateneia, actual Praça da Liberdade. A sua atracção incidia sobre as dálias, nas quais se especializou e criou uma sua, no seu horto, ganhando um prémio com esta.

Aurélio tinha cartão de jornalista e a imprensa, mais precisamente a Illustração Portugueza recorria às suas imagens publicando-as. Ele deslocou-se a França e ao Brasil, por diversas vezes, com intuito de fazer representações comerciais, mas também para fotografar, comercializando estas imagens em séries temáticas. Na sua actividade de fotógrafo gostava de tirar retratos a pessoas, família, amigos, gentes do teatro, era também um fotógrafo de rua. Explorava essencialmente a estereoscopia (fotografia com relevo que cria uma sensação de tridimensionalidade). Aurélio vendia película da marca Lumière & Jougla, assim como também vendia máquinas de escrever Yast e automóveis franceses da marca Minerva.

No verão de 1896, pensou em comprar um cinematógrafo aos irmãos Lumière, e desloca-se a Paris, mas estes não lho venderam, acabando, por comprar aos irmãos Werner (juntamente com o seu cunhado Francisco Magalhães Bastos Júnior , comerciante e fundador da Photo Universal), um aparelho cronofotográfico, uma variante do cinematógrafo, com um funcionamento mecânico diferente mas que cumpria o propósito a que se destinava - filmar. Com este equipamento Aurélio da Paz dos Reis filma a fábrica do amigo, António da Silva Cunha, a Camisaria Confiança, na Rua de Santa Catarina, n.º 181. Este filme é a primeira obra de referência do cinema português.

Em dezembro de 1896 parte para o Brasil para apresentar esses filmes.

Em 1900, visitou Paris, e com as suas fotografias ganhou uma medalha de mérito.

Em abril de 1909 volta novamente ao Brasil, para tratar de assuntos ligados com flores e as estereoscopias produzidas.

Em 1919, vários acontecimentos marcam profundamente a sua vida familiar: três dos seus quatro filhos morrem - a Hilda Ofélia, Horácio Fortunato e Homero. A Hilda e o Horácio foram vítimas da pneumónica e Homero morreu, de purpura infecciosa, a 27 fevereiro de 1919, vítima da 1.ª Grande Guerra, em França.

Aurélio da Paz dos Reis foi vereador e presidente substituto da Câmara Municipal do Porto, e participou em numerosas colectividades culturais e de beneficência, salientando-se a colaboração no Ateneu, no Orfeão Portuense, no Asilo de S. João, no Clube dos Fenianos e criou o Conservatório de Música.

Em 1929, interrompeu as investigações de tipos de flores na Rua do Nova Cintra, pois foi perdendo o entusiasmo. Passados dois anos, Aurélio é vítima de congestão cerebral e faleceu a 18 de Setembro de 1931.
Geographic name
Porto
Functions, ocupations and activities
Comerciante, floricultor, jornalista e fotografo.
Internal structure/genealogy
Aurélio Paz dos Reis nasceu no Porto em 28 de Julho de 1862. O avô materno de Aurélio da Paz dos Reis foi Jacinto dos Santos, natural da Galiza e a avó, Maria Joaquina, que nasceu em Amarante. Os seus pais eram Miguel da Paz dos Reis, natural de Vila Real e fixado no Porto, na Praça de D. Pedro e Carolina Rosa dos Santos, gerente de uma loja de modista.

A 11 de Agosto de 1866 casa com Palmira Cândida de Souza Guimarães (?-1935), filha de Felismina Rita Fernandes de Souza Guimarães (?-1906) e do comendador António Fernandes Guimarães (?-1895), célebre "Visconde das Hortas", um grande negociante da cidade do Porto, que residia na Rua das Hortas (hoje rua do Almada). Era também um grande proprietária, sendo de destacar a famosa casa e quinta de Corim, em Águas Santas, onde Aurélio e Palmira casam. Palmira vinha uma família de cinco irmãos.
Custodial history
Esta documentação esteve à guarda do seu filho, Hugo Virgílio que por sua vez a passou para o neto, Hugo Paz dos Reis.
Acquisition information
Documentação depositada por Hugo da Paz dos Reis (neto do fotógrafo), em Setembro de 1997, no Centro Português de Fotografia, no Porto, com a condição de em caso de dissolução ou transferência deste arquivo, o espólio ser entregue nas mesmas condições à Câmara Municipal do Porto.

Em 2016, Hugo Paz dos Reis, faz doação do espólio ao CPF.
Scope and content
Este fundo reflecte a produção fotográfica relativa a reportagens políticas, principalmente comícios republicanos, sociais nacionais e estrangeiras, assim como fotografias de carácter familiar e de viagens.

Tem também retratos de grupo, vistas panorâmicas, personalidades e abarca diversos temas tais como, transportes terrestes, fluviais, desporto, actividades lúdicas, igrejas e moda.



Existe ainda outro tipo de documentação tais como documentos de identificação da família, da Flora Portuense; da Maçonaria, do Grupo dos Zecas, correspondência com os filhos e outros, programas de teatro, recortes de jornais, artigos fotográficos, artigos sobre cinema. Também diversos livros, revistas, jornais relacionados com fotografia, plantação de sementes e flores, agricultura, maçonaria, entre outros foram entregues com esta documentação, assim como, álbuns com gravuras Stereo-nús- Album Artistique d'etudes Académiques a l' usage des Peintres e Sculpteurs. Também cartões ilustrados de colecção de flores e insectos da Livraria Hachette et C. Colecção Art Trecasures, gravuras de flores pertencentes a Aurélio da Paz dos Reis.

Este fundo possuí também objectos tridimensionais pessoais, envelopes de papel fotográfico, caixas de negativos de vidro não expostas, produtos químicos, postais, indumentária da maçonaria, medalhas, alfinetes, etc.
Documental typology
Polaridade: negativos, positivos. Cor: p/b. Processo fotográfico: gelatina e sais de prata, albumina, entre outros.
Arrangement
Classificação por fundo e três sub-fundos (documentos produzidos pelos três filhos de Aurélio da Paz dos Reis).

A ordenação é numérica sequencial, atribuída aquando da inventariação (em 1997/98) não tendo havido separação entre os quatro autores/produtores.

A documentação fotográfia, nomeadamente os negativos e positivos em vidro e película, vinham acondicionados em caixas, sendo que algumas têm numeração original e incrições de data, contudo algumas estão fisicamente desordenadas. Parte dos negativos apresenta uma segunda numeração, or vezes escarificada na emulsão, de acordo com os acontecimentos, como acontece na ida ao Brasil de 1909 e outras temáticas.

Na fase de classificação (em 2017/18) fez-se a divisão dos fundos.

O fundo principal foi divido por séries (Fotografias, Coleções, Documentos (...)).
Access restrictions
Documentação acessível em cópia digital. Uma parte do fundo está inacessível porque aguarda tratamento
Conditions governing use
A reprodução de documentos encontra-se sujeita a algumas restrições tendo em conta o tipo dos documentos, o seu estado de conservação, o fim a que se destina a reprodução, às normas que regulam os direitos de propriedade e à legislação sobre os direitos de autor. A utilização da reprodução para efeitos de publicação está sujeita a autorização do dirigente máximo do CPF. O serviço informa, caso a caso, das opções disponíveis.
Language of the material
Português
Other finding aid
Catálogo (digital) Digitarq (base de dados de descrição arquivística) e inventário em suporte de papel relativamente à documentação não tratada (objetos, fotografias e documentos em papel).
Related material
Filmes existentes na Cinemateca.
Publication notes
PORTUGAL. CENTRO PORTUGUÊS DE FOTOGRAFIA. - Manual do Cidadão Aurélio da Paz dos Reis. Texto Maria do Carmo Serén. Porto: CPF, 1998. 331 p. ISBN 972-8451-04-0.
Creation date
22/07/2011 00:00:00
Last modification
17/05/2018 12:54:34
Record not reviewed.